DogSolution

Categoria: Vimos e Amamos

Vimos e Amamos

Grupo no WhatsApp reúne pessoas que adotam cães especiais

DogSolution_001
Tem que ter muito amor envolvido para superar os desafios de cuidar de um animal de estimação com problemas de saúde. No entanto, não é preciso lidar com tudo isso sozinho. O grupo de WhatsApp Amigos de Rodinhas reúne cem pessoas que têm cachorros ou gatos que são paraplégicos ou possuem alguma limitação física. Na rede social, os integrantes trocam dicas e dão apoio emocional uns aos outros. Esse amparo a tutora do golden retriever Troy não encontrou há sete anos quando ele caiu da escada e se tornou paraplégico. “As pessoas falavam muitas coisas que me incomodavam e eu resolvi mostrar como era ter um cachorro especial. Precisamos falar sobre isso, mostrar que é possível viver com um pet especial”, conta Aline Prado Rodrigues, que criou o perfil no Instagram Golden Terriever e o grupo de WhatsApp Amigos de Rodinhas. “Com o grupo eu consegui ‘morder’ as pessoas para passar essa vontade de viver com o cachorro delas o tanto que eu vivi com o meu”, diz a influenciadora pet e assessora de imprensa. Troy morreu em 30 de março, aos dez anos de idade, em consequência de um sarcoma histiocítico – um tipo de câncer. Além do apoio emocional, o grupo também oferece dicas para ajudar na rotina dos tutores. Segundo Aline, o uso de fralda e técnicas para esvaziar a bexiga dos cães são assuntos recorrentes entre os participantes. “Os veterinários não estão muito preparados para lidar com esses animais ou não têm didática para ensinar as pessoas”, explica. Flávia Panella, que adotou uma cachorra paraplégica em novembro do ano passado, é uma das integrantes que se beneficiou com as dicas e vídeos da rede social. A cadelinha Olívia foi atacada por um cão de grande porte, fraturou a vértebra L4 da coluna e foi deixada por sua dona no abrigo Bichos do Gueto. Após o acidente, Olívia não consegue fazer xixi sozinha e a sua nova tutora precisa ajudá-la nessa função quatro vezes ao dia. “O grupo ajuda demais porque quando a gente adota um animal especial a gente tem vários medos e ali encontramos um apoio muito bom. A gente vira uma família”, diz Flávia. As inseguranças já fazem parte do passado e agora a advogada fala com muita alegria sobre a adoção de Olívia. “Ela mudou minha vida. Ela me mostra todos os dias o que é resiliência, o que é superação. Ela não tem autopiedade, ela faz o que ela precisa fazer do jeitinho dela. Dentro de casa ela anda sem cadeirinha, desce escada, sobe na caminha dela. Eu nunca a vejo desanimada, ela está sempre brincando. Eu me sinto muito mais forte para enfrentar obstáculos”, revela. A limitação física da cadela de sete anos de idade também não a impede de participar de eventos como o dog day use do Hotel Surya-Pan, em Campos do Jordão. Com a troca de ajuda frequente entre os participantes, Mariana Camargo, tutora da golden Olívia, teve a ideia de criar um “consórcio” entre os tutores para comprar cadeirinhas para os cães especiais. Cada membro contribui com R$ 10 por mês e a pessoa contemplada no sorteio adianta o valor da contribuição. Até agora já foram entregues três equipamentos para cães que têm deficiência. “Eu ajudo o máximo que eu posso. É gratificante demais saber que eu estou fazendo um bem para o próximo, sabendo que eu passei por aquilo e teve pessoas que me ajudaram também”, afirma Mariana. Quem quiser fazer parte do grupo Amigos de Rodinhas pode mandar uma mensagem no Instagram Golden Terriever e pedir para ser adicionado ao grupo. Fonte: Universa Uol  Postado Por: Agência Cento e Vinte | Vimos e Amamos!
Vimos e Amamos

Como denunciar maus-tratos contra animais

DogSolution_001
Saiba o que a legislação considera maus-tratos e a quem recorrer caso presencie ou saiba de uma situação dessas Crédito: germi_p/istock A Lei Federal prevê prisão de três meses a um ano para quem pratica maus-tratos contra animais Ficar sem ação ao tomar conhecimento de um caso de maus-tratos contra animais é ser conivente com o crime. Nessas situações, não há outra saída a não ser denunciar. Pode ser um cachorro que vive acorrentado na casa vizinha, um pet shop que mantém animais em gaiolas minúsculas ou até um cavalo que é explorado até o seu limite na rua. Todas essas situações ou qualquer outra que configure maus-tratos devem ser levadas a conhecimento da polícia e de entidades ambientais. A Lei Federal prevê prisão de três meses a um ano para quem pratica maus-tratos, além de multa. Em caso de morte do animal, a punição pode ser aumentada de um sexto a um terço. E a lei vale para todos, segundo a advogada Mônica Grimaldi, especializada em legislação de animais e área pet. “Seja criador, protetor, médico-veterinário ou detentor de animal, qualquer dessas circunstâncias é considerada crime de maus-tratos, sim”. Se você ainda tem dúvidas, veja o que é considerado maus-tratos: – Abandonar – Ferir, mutilar ou envenenar – Manter preso permanentemente em correntes – Manter em locais pequenos e sem higiene – Não abrigar do sol, da chuva e do frio – Deixar sem ventilação ou luz solar – Não dar comida e água diariamente – Negar assistência veterinária ao animal doente ou ferido – Obrigar a trabalho excessivo ou superior à sua força – Utilizar animais em shows que possam lhe causar pânico ou estresse – Capturar animais silvestres – Promover violência como rinhas, farra-do-boi, dentre outros Outros exemplos estão descritos no Decreto Lei 24.645/1934, de Getúlio Vargas. Crédito: Camila Lustosa/Catraca LivreMaus-tratos contra animais: denuncie! Crédito: David_Bokuchava/istockManter cachorro acorrentado também é crime de maus-tratos Onde denunciar Diante do conhecimento de um caso de crueldade contra animais domésticos ou silvestres, qualquer cidadão pode comunicá-lo à Polícia Militar por meio do telefone 190. A Polícia Ambiental também pode ser acionada. É importante dizer que, antes de fazer a denúncia, é preciso saber para onde o animal será destinado, uma vez que nem a polícia nem o governo o acolhem. O ideal é ter um lar temporário ou lar definitivo já engatilhado para abrigar este animal para que ele não acabe na rua. A denúncia de maus-tratos é legitimada pelo Art. 32, da Lei Federal nº. 9.605, de 12.02.1998 (Lei de Crimes Ambientais) e pela Constituição Federal Brasileira, de 05 de outubro de 1988. Lei de Crimes Ambientais nº. 9605/98 “Art. 32. Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos: Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa. § 1º. Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos. § 2º. “A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.” Crédito: reprodução/InstagramResgate de animais vítimas de maus-tratos em canil clandestino em São Paulo Vale informar que os animais são tutelados pelo Estado e é sua função protegê-los. Portanto, na hipótese de a autoridade policial se recusar a registrar a ocorrência, a recomendação é denunciar ao Ministério Público, que deve tomar as medidas cabíveis. Também é possível registrar ocorrências de maus-tratos contra animais silvestres através da Linha Verde, do Ibama, no número 0800 61 8080. Algumas regiões do Brasil possuem canais específicos para o atendimento a denúncias de maus-tratos contra animais. É o caso da Delegacia Eletrônica de Proteção Animal (Depa), da Secretaria de Segurança Pública, que atende todo o estado de São Paulo. Pela internet, os cidadãos podem registrar a denúncia, mantendo os dados pessoais em sigilo e acompanhar o desfecho do caso por meio de um número de protocolo. Em dois anos, a Depa recebeu 16 mil denúncias, uma média de 25 por dia. Também no estado de São Paulo existe o Disque Denúncia Animal, que atende por meio do 0800 600 6428. O atendimento dessas denúncias é realizado por duas equipes de policiais militares, cada uma acompanhada por veterinários. Dependendo do caso, eles são enviados em uma ambulância para dar suporte aos policiais na constatação de maus-tratos e eventual atendimento emergencial. Manual de resgate: saiba como ajudar animais abandonados  Como denunciar Primeiramente, certifique-se de que a denúncia é verdadeira. Falsa denúncia é crime, como descrito no artigo 340 do Código Penal Brasileiro. Não tenha medo: é possível denunciar de maneira anônima ou pedir sigilo dos dados no momento da denúncia. Vale dizer também que o denunciante figura apenas como testemunha do caso, pois é o Estado quem denuncia na prática e é autor de todo o trâmite. Caso a situação de maus-tratos esteja ocorrendo no momento do flagrante, a orientação é ligar no 190, pedir uma viatura no local e aguardar a chegada da polícia. Se a situação for recorrente, é importante reunir evidências dos maus-tratos, como fotos, vídeos e áudios. “Quanto mais material tiver, maior embasamento técnico terá a denúncia para poder prosperar”, explica a advogada Monica Grimaldi. Já se o animal foi encontrado ou foi pego sendo espancado, a orientação é levá-lo ao veterinário, pedir os laudos e processar o autor dos maus-tratos, caso ele seja conhecido. Em caso de abandono ou atropelamento, deve-se anotar a placa do carro para levantar a identificação do motorista no Detran. Envenenamentos de animais e ameaças também devem ser denunciados. Monica Grimaldi lembra que essa é uma das maneiras de praticar cidadania. “As pessoas têm que entender que o animal não tem a quem recorrer, não tem voz. Denunciando, você estará salvaguardando a vida de um inocente. Mas sendo omisso, você está sendo conivente com o crime e, dessa forma, também é culpado”, afirma a advogada. Dicas para facilitar a denúncia Fotografe e/ou filme os animais vítimas de maus-tratos e, se possível, reúna testemunhas; Ao fazer a denúncia, procure uma cópia por escrito do art.32 da Lei de Crimes Ambientais (Lei Federal n.º 9.605 de 1998), uma vez que há policiais que desconhecem o conteúdo dessa lei. DENUNCIE: Polícia Militar -190 Disque-Denúncia – 181 Ibama (no caso de animais silvestres) Linha Verde – 0800 61 8080 www.ibama.gov.br/denuncias Polícia Ambiental Pelo site: http://denuncia.sigam.sp.gov.br/ Por e-mail: ambientaldenuncias@policiamilitar.sp.gov.br Ministério Público Federal – http://www.mpf.mp.br/servicos/sac Safer Net (crimes de crueldade ou apologia aos maus-tratos na internet) – www.safernet.org.br Sudeste São Paulo Disque-Denúncia Animal (São Paulo e Grande São Paulo) – 0800 600 6428 Web Denúncia – www.webdenuncia.org.br Delegacia Eletrônica de Proteção Animal (Depa) – http://www.ssp.sp.gov.br/depa Rio de Janeiro Secretaria Especial de Promoção e Defesa dos Animais do Rio de Janeiro – site
Vimos e Amamos

TED Talks Ian Dunbar

DogSolution_001
Cães possuem anatomia facial que facilita sua interação social com os humanos via TED Falando na conferência EG de 2007, o treinador Ian Dunbar nos pede para ver o mundo através dos olhos de nossos queridos cachorros. Ao conhecer a perspectiva de nossos animais de estimação, podemos construir seu amor e confiança. É uma mensagem que ressoa bem além do mundo animal. Falando na conferência EG de 2007, o treinador Ian Dunbar nos pede para ver o mundo através dos olhos de nossos queridos cachorros. Ao conhecer a perspectiva de nossos animais de estimação, podemos construir seu amor e confiança. É uma mensagem que ressoa bem além do mundo animal. Fonte: TED | https://ted.com/ Postado por Agência Cento e Vinte 
Vimos e Amamos

Como funciona o transporte de animais em aeronaves?

DogSolution_001
É comum que famílias que possuem animais de estimação não saibam o que fazer com os bichinhos quando, por exemplo, vão sair de férias. Muitas companhias aéreas têm políticas específicas sobre o transporte de animais. Neste conteúdo, explicaremos como funciona esse processo, quais são os tipos de documentos e de vacinas que o animal precisa tomar antes de embarcar, o tipo de bolsa ou caixa de transporte usado e a fase de adaptação do pet à caixa de transporte (para evitar acidentes). Além disso, mostraremos também em quais casos os animais vão no porão ou na cabine (e como são esses ambientes), como é feito o desembarque e quais são as regras gerais das principais companhias nacionais e internacionais. Você vai viajar e quer levar seu animal de estimação, mas não sabe como fazê-lo? Informe-se sobre o transporte de animais em aeronaves! Devo levar o animal ao veterinário? Viajar com um animal de estimação não é uma tarefa simples, mas é possível. Basta planejamento, cumprimento de algumas exigências das companhias aéreas e adaptação do pet. Antes de tomar a decisão de levá-lo na viagem, é necessário consultar um veterinário para avaliar as condições do seu bicho de estimação. Viajar de avião é um fator de estresse para seu cão ou gato, mesmo se ele for calmo. Para diminuir as chances dele ficar muito estressado durante o transporte, escolha os voos com trajetos mais curtos e sem conexão. Isso ajuda a diminuir os riscos de desidratação durante uma viagem de avião. Qual é a documentação para transporte de animais? Viagem nacional Documentos de vacinação do seu animal É preciso apresentar o Certificado de Vacinação Antirrábica (para animais com mais de três meses de idade), aplicada entre 30 dias até um ano antes da data do embarque. Se não for possível comprovar a vacinação ou a vacina estiver vencida, é preciso reaplicá-la pelo menos 30 dias antes do voo. Atestado de Saúde para Viagens Aéreas Peça o documento a um veterinário inscrito no Conselho Regional de Medicina Veterinária cerca de uma semana antes do voo. Os atestados emitidos no máximo 10 dias antes da data de embarque são aceitos por todas as companhias aéreas nacionais. Essa é também uma oportunidade para avaliar as condições de saúde do animal antes da viagem. Se, no atestado, constar que a vacinação contra a raiva está em dia, não é preciso apresentar Certificado de Vacinação Antirrábica. O passaporte atualizado pelo médico veterinário responsável pelo seu pet também é aceito para viagens nacionais. Viagem internacional Documentos necessários: Atestado Sanitário, Carteira de Vacinação, CVI (Certificado Veterinário Internacional) e CZI (Certificado Zoosanitário Internacional). Saiba mais sobre cada um individualmente: CVI Para transitar com cães e gatos entre países, é necessário um documento emitido pela autoridade veterinária do país de origem e aceito pelos países de destino. Esse documento atende às exigências sanitárias do país de destino e atesta as condições e o histórico de saúde do animal. No Brasil, os documentos usados para esse fim são o CVI e o Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos, que são expedidos por Auditores Fiscais Federais Agropecuários das unidades de Vigilância Agropecuária Internacional (VIGIAGRO). Passo a passo para solicitar o CVI: Consulte os locais onde o CVI é emitido; Agende o atendimento no local escolhido; Imprima e preencha o Requerimento para solicitar o Certificado Veterinário Internacional; Providencie os documentos listados neste arquivo. Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos Desde 2004, o passaporte é emitido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Esse documento substitui o CVI. Em se tratando de viagens internacionais, o CVI é solicitado a cada viagem, diferentemente do passaporte que vale por toda a vida do animal. Para ser concedido, é obrigatório que o animal possua identificação eletrônica (microchip). Também pode ser usado em viagens domésticas, substituindo o atestado de saúde animal. O Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos é emitido gratuitamente e é aceito nos seguintes países: Uruguai, Brunei, Colômbia, Gâmbia e Taiwan. Como adaptar os animais às caixas para transporte? É recomendável que o animal passe por um período de adaptação à caixa de transporte de animais para não ficar estressado quando for colocado nela. As companhias aéreas dão algumas dicas que podem ajudar nesse processo: Faça com que a caixa de transporte se torne um local familiar para o animal. Deixe-a aberta, acessível e disponível em um local da casa onde o pet costuma ficar; Ofereça petiscos, brinquedos e ossos dentro da caixa; Ofereça, pelo menos, uma das refeições de seu pet na caixa de transporte. Quando ele se mostrar confortável dentro da mesma, tente fechar a portinha; Abra quando o animal terminar. Vá aumentando aos poucos o tempo em que ele permanece dentro da caixa; Depois, comece a colocar o animal dentro da caixa em outros momentos, principalmente quando ele estiver tranquilo. Mantenha-se afastado, assim o pet se acostumará com a sua ausência quando estiver confinado. Medidas das caixas para transporte de animais GOL A caixa transportadora deve ter dimensões máximas de: 24 cm de altura x 43 cm de profundidade x 32 cm de largura para caixas flexíveis; 22 cm de altura x 43 cm de profundidade x 32 cm de largura para caixas rígidas. Em ambos os casos, a caixa precisa ter a identificação do dono. Não são permitidas caixas de palha, madeira ou de tecido permeável. A caixa deve ter espaço suficiente para que o animal possa se mover, dar a volta em torno de si, mudar de posição e tombar para o lado. Ele deve ter espaço para fazer tudo isso de forma confortável. Além disso, a caixa deve possuir abertura para que o ar circule. AZUL As dimensões da caixa transportadora (flexível ou rígida) devem ser de, no máximo, 43 cm de comprimento x 31,5 cm de largura x 20 cm de altura. AVIANCA A caixa de transporte de animais deve ter, no máximo, 25 cm de altura x 26 cm de largura x 40 cm de comprimento. Como é o transporte de animais em algumas companhias? GOL A companhia transporta somente cães e gatos. A seguir, veja as regras que devem ser obedecidas para que os animais viajem na cabine: O animal mais a caixa devem ter o peso total de, no máximo, 10 quilos. Se exceder esse peso, ele não é autorizado a voar na cabine; É permitido o embarque de somente um animal por passageiro e até 4 por voo; A solicitação do serviço deve ser feita pelo passageiro, no mínimo, três horas antes do voo; Opte pelos assentos localizados na janela e coloque seu pet sob o assento da frente; O check-in precisa ser feito até
Vimos e Amamos

Posso viajar com meu animal de estimação no colo?

DogSolution_001
Você quer viajar com seu animal de estimação e não sabe quais providências deve tomar, quais documentos apresentar e onde ele pode ser transportado? Neste artigo, vamos explicar todas essas questões a você. O que é necessário para que seu pet possa embarcar em um voo com você, seja em uma viagem nacional ou internacional? Tire suas dúvidas sobre onde seu animalzinho deve ser transportado (em seu colo ou sob o assento) e o que você deve fazer se ele não puder embarcar com você! Como viajar com o animal de estimação? Antes de decidir viajar com seu pet é preciso analisar alguns pontos como: é viável viajar com um animal de estimação para meu local de destino? Meu animalzinho gosta de viajar? Animais são aceitos no local em que vou me hospedar? Mudanças na rotina dos animais afetam seu comportamento, deixando-os nervosos ou assustados. Por isso, é importante verificar previamente se tudo está pronto para receber o seu animal. Quais os cuidados pré-viagem com o animal? Antes de viajar, lembre-se de consultar um veterinário para avaliar a saúde de seu pet. Aproveite a oportunidade para tirar algumas dúvidas sobre medicamentos para quaisquer problemas que o animal possa ter durante a viagem como agitação e enjoos. Quando preparar sua mala, não se esqueça de também fazer a do seu animal, separando comida e itens que ele costuma usar diariamente. Quais as regras para o transporte de animais domésticos? Cada companhia aérea tem suas próprias regras sobre como transportar os animais de estimação, ou seja, uma pode autorizar que o animal seja transportado no interior da aeronave e outra pode permitir que ele seja transportado somente no porão da aeronave. E, além de ficar atento às regras das companhias, você também tem que verificar o que os outros órgãos exigem para o transporte de animais domésticos, que variam de acordo com a viagem que você fará (nacional ou internacional). O animal de estimação pode viajar no colo? A resposta é não. O animal deve estar em sua caixa de transporte e ser acomodado sob o assento da poltrona da frente e continuar nesse local durante todo o voo. Essa regra foi criada para garantir a segurança do animal e também para que todos os passageiros e animais tenham um voo agradável. Já imaginou você viajar com um animal de estimação no colo ao lado de um passageiro que não gosta de animais? Também é obrigatório que o animal esteja em uma caixa de transporte na sala de embarque e desembarque. Animais de estimação podem viajar com os donos na cabine? Vamos usar o serviço da Gol como exemplo. Desde o dia 11 de junho, os passageiros da companhia podem viajar com animais de estimação (cães e gatos) na cabine das aeronaves em voos domésticos ou internacionais, desde que cumpridos os requisitos a seguir: Animais autorizados a viajar na cabine das aeronaves Animais de pequeno porte (somente cães e gatos), cão-assistente, cão-guia e cão ouvinte. Outros animais de pequeno porte não estão autorizados a embarcar. A idade deve ser superior a quatro meses e o pet deve ter, no máximo, 10 quilos (incluída a caixa de transporte). Como o animal deve ser transportado Os animais de estimação podem ser transportados em dois tipos de caixas de transporte. Em uma caixa flexível com 24 centímetros de altura, 32 centímetros de largura e 43 centímetros de profundidade ou em uma caixa rígida com 22 centímetros de altura, 32 centímetros de largura e 43 centímetros de profundidade. Essas caixas devem garantir o conforto do animal. Como assim? A caixa tem que ter abertura para o ar circular e espaço suficiente para que o animal mude de posição, possa se mover e dar a volta em torno dele. A caixa não pode ser de madeira, tecido permeável ou palha, pois deve ser obrigatoriamente resistente a vazamentos. Como solicitar o serviço O serviço pode ser solicitado depois que você emitir sua passagem aérea ou, pelo menos, com três horas de antecedência (voos nacionais) e 24 horas de antecedência (voos internacionais), se houver disponibilidade, pois somente podem ser transportados quatro animais por voo (caso seja necessário solicitar reembolso de passagem aérea, verifique nosso artigo sobre o assunto). Sendo somente um animal por passageiro e um em cada fila de assentos, de preferência na janela para que os animais fiquem distantes uns dos outros. Além disso, eles não podem ser acomodados em fileiras que possuam saída de emergência. Antes do embarque, acesse o site da Gol, imprima o Formulário de Solicitação para Transporte de animais, preencha-o e leve- junto com os demais documentos necessários para a viagem. Ou se preferir, retire o formulário no balcão de atendimento da companhia aérea no aeroporto. Esse documento é obrigatório em qualquer tipo de viagem. Como levar o animal Dependendo da raça ou porte de seu animal, ele deve usar focinheira para entrar no terminal do aeroporto, exceto os cães-guia. Se o seu voo é nacional, você deve se apresentar para o check-in junto com seu animal de estimação duas horas antes do embarque. Já em caso de voo internacional, apresentem-se três horas antes do embarque. Valor do serviço – R$ 200,00 adicional por cada trecho (para passagens compradas no Brasil para voos nacionais ou internacionais). Documentos do animal para viagens nacionais originadas e com destino no Brasil Atestado Sanitário (atesta as boas condições de saúde do seu animal de estimação e tem validade de apenas 10 dias), Atestado de Saúde (procure um veterinário dias antes da viagem e solicite o atestado, que deve ser emitido 10 dias antes da data de embarque) e Carteira de Vacinação (o animal deve estar com as vacinas em dia, incluindo a vacina antirrábica). Documentos do animal para viagens internacionais Atestado Sanitário (atesta as boas condições de saúde do seu animal de estimação e deve ser emitido 10 dias antes da emissão do Certificado Veterinário Internacional), Atestado de Saúde (procure um veterinário dias antes da viagem e solicite o atestado. Sua emissão deve ser feita 10 dias antes da viagem), Carteira de Vacinação (que deve constar que o animal recebeu a vacina antirrábica há mais de 30 dias e menos de 1 ano) e Certificado Veterinário Internacional (válido apenas para os países membros do Mercosul – Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai – e é válido por 60 dias corridos. Transporte de animais em outras companhias Latam: É permitido apenas um animal por voo. A solicitação do serviço e a verificação de disponibilidade devem ser feitas com 48 horas de antecedência. Azul: A companhia permite somente até três animais por voo com idade superior a quatro meses. O que fazer quando seu animal de estimação não
DogSolution Vimos e Amamos

PIT BULL FLOWER POWER (2014-…)

DogSolution_001
Sophie Gamand é uma premiada fotógrafa francesa e defensora de animais, que viaja pelos Estados Unidos fotografando cães de abrigo para conscientizar sobre seu destino e ajudá-los a serem adotados. Durante décadas, pit bulls foram demonizados pela sociedade e retratados como hellhounds. Eles se tornaram os mais temidos, odiados e abusados ​​de todos os animais de companhia. Algumas cidades e até mesmo países inteiros os banem, enquanto a mídia persiste em associá-los à maldade. Essa reputação injusta selou o destino de milhões de cães, que enfrentam preconceitos em todo o mundo, definham em abrigos onde são os mais sacrificados. Só na América, centenas de milhares de pit bulls são sacrificados todos os anos. “Desde 2014, tenho fotografado pit bulls adotáveis, gratuitamente, de todos os Estados Unidos. Muitos esperavam por casas há anos. Os retratos celebram a personalidade, a vulnerabilidade e a individualidade inerentes a esses cães e não apenas levaram centenas de cães a encontrar lares amorosos para sempre, mas também estimularam esforços para desestigmatizar um animal cuja reputação de violência diz mais sobre nós do que os personagens dos cães. si mesmos. Para apoiar o projeto e meu trabalho pro bono com abrigos, visite minha loja onde você pode comprar impressões e vários produtos (sacolas, bolsas com zíper, cadernos…).”  Além das mídias sociais, seus retratos foram exibidos e exibidos em versão impressa, on-line e na TV em todo o mundo. Sophie também é autora de Wet Dog (Grand Central, 2015), e mora com seu marido Sten e seu companheiro canino, um vira-lata chamado MacLovin, no Brooklyn, Nova York. Saiba mais em www.sophiegamand.com Postado por Agência Cento e Vinte
Vimos e Amamos

Cães e gatos pretos são os últimos na lista de adoção, eu quero mudar isso tirando belos retratos deles

DogSolution_001
Cães e gatos pretos são um problema quando se trata em ser adotado. Terminar em um abrigo é uma má notícia para qualquer animal, mas para os bichos negros são os menos propensos a serem adotados e, se tiverem a sorte de serem escolhidos por um adotado, terão esperado por mais tempo. É uma situação muito triste para esses animais. Eu fiz um pouco de pesquisa sobre isso e parece haver razões principais que os cães e gatos pretos são os últimos na lista de potenciais adotados: 01 – Eles não fotografam bem (acho que essas imagens refutam essa afirmação). Muitas vezes é trágico se você quiser conquistar o Instagram com seu novo mascote (pode bater a cabeça na parede), 02 – Cães pretos podem parecer intimidadores e agressivos, 03 – Gatos pretos são supersticiosamente azarados (GRANDE ESTUPIDEZ). Então, porque eu sou fã de defender o azarão (e gato), essas imagens são o meu dublê de PR para mostrar que cachorros e gatos pretos estão longe de serem feios. Claro que usei alguma licença criativa com as descrições* (além de Casper que realmente tentou usar uma boá de penas) porque, como um Kardashian faminto de publicidade, eu farei qualquer coisa para conseguir que os animais de estimação tenham a atenção que merecem. Eu até escrevi um livro sobre cães de abrigo que você pode encontrar aqui . Todos os animais desta série foram adotados / salvos e estão em segurança. E agora estão vivendo em lares amorosos, para o caso de alguém estar se perguntando.  Minhas pesquisas no Google revelaram uma dica interessante para abrigos que procuram encorajar as pessoas a adotarem seus cachorros pretos e gatos ‘chatos’ – Vista seus cães e gatos com roupas coloridas e alternativas. Aparentemente, se há um cachorro preto entre uma corrida cheia de cães marrons, ele é mais provável de ser escolhido. Faça com que eles se destaquem. Aparentemente, os seres humanos são um pouco parciais para marketing inteligente e embalagens extravagantes. Felizmente, as mamães e os pais que trouxeram seus preciosos resgatados para o estúdio para fotos selecionaram suas criaturas com base em suas super personalidades. A exceção a essa regra (sempre existe uma) é DOGG. Ele foi encontrado ao lado da estrada e foi chamado de ‘Cão’,  porque ele só ia ser apenas um temporário para ser adotado, mas depois, mudamos seu nome para DO GG e ele ficou. Os abrigos em todo o mundo, muitas vezes sacrificam cães e gatos pretos com mais frequência, porque sabem que serão mais difíceis de serem adotados ou de irem para alguma casa. Alguns nem sequer têm a chance de conhecer sua família definitiva. Triste e Desolador. Mudar percepções entre os adotantes em potencial, bem como usar ferramentas inteligentes de ‘marketing’ para destacá-las, parece ser a chave. O público em geral (em todo o mundo) precisa ser instruído sobre a esterilização de animais de estimação, para reduzir o número de bichos indesejáveis ​​que estão por aí. Muitas das estrelas que eu fotografei, foram adotadas acidentalmente (não diga a Truffle) e, embora sejam incrivelmente amadas, muitas outras criaturas como elas, não terá tiveram tanta sorte. É um jogo de números, que deve ser reduzido, colocando cães e gatos “esterilizados” antes que mais bebês “acidentais” cheguem. Os donos de cães em potencial também precisam de incentivo para adotar. Há um monte de equívocos sobre cães e gatos de abrigos. Às vezes, esses animais podem mesmo ser difíceis, às vezes demoram um pouco para serem socializados, às vezes exigem um acompanhamento extra de um behaviorista, mas na maioria são “gente” boas. Todos os pais de animal de estimação de abrigo, dir-lhe-ão que o amor que você recebe em troca, é 110% maior do que o dado. Todos os pais de animais de estimação de abrigo com quem falo e que compraram um cachorro ou gato, me dizem que nunca mais comprarão um cachorro, porque seu amigo resgatado mudou sua vida, para MELHOR. Você tem um cão ou gato de resgate negro, que adicionou alegria incomensurável à sua vida e talvez aliviou você de alguma mobília ou cortinas? Conte-me sobre eles e inclua uma foto nos comentários abaixo. Conteúdo traduzido da MARAVILHOSA Emma Obrien: Mais informações: emmaobrien.com | Instagram | Facebook Vimos, Gostamos e Postamos! Postado por Agência Cento e Vinte
DogSolution Vimos e Amamos

Conheça 7 Tipos de Cães de Trabalho e o Que Eles Fazem

DogSolution_001
Qualquer um que seja apaixonado por ajudar os cães ​​diria que todos são animais de trabalho. Dar a um cão um serviço que ele goste pode ajudar a evitar uma lista quase infinita de possíveis problemas de comportamento (como latidos excessivos, mastigação e escavação inadequadas, problemas de separação e muito mais). Mas há um grupo de cães de raça pura categorizados como de trabalho devido ao seu desenvolvimento focado na capacidade física e mental de ajudar as pessoas em uma infinidade de tarefas. Além de serem companheiros maravilhosos, esses tipos de cães são inestimáveis ​​assistentes para pessoas em todo o mundo por muitos anos. Os cães de trabalho têm talentos naturais que são cuidadosamente aperfeiçoados com treinamento intensivo e, assim, podem ajudar os outros. Tipos de cães de trabalho 1. Cães policiais Os cães policiais, geralmente chamados de K-9, são treinados especificamente para ajudar a polícia. Eles protegem seus manipuladores e podem perseguir e manter suspeitos de crimes que tentam fugir da polícia. Além disso, em alguns casos, os K-9 podem ser treinados para farejar substâncias ilegais. Raças populares de cães policiais Malinois belga Pastor-alemão Bloodhound/cão de Santo Humberto Pastor-holandês Labrador retriever Essas raças são conhecidas por sua incrível capacidade de trabalho, seu desejo de cooperar com seus manipuladores e, em alguns casos, sua tenacidade em combater criminosos. Alguns cães policiais são de propósito único, ou seja, eles realizam apenas uma tarefa. Outros, de dupla finalidade, o que significa que foram treinados para executar uma variedade de atividades. 2. Cães de detecção Os cães de detecção têm sentidos excepcionais do olfato. Desse modo, eles são treinados para identificar uma determinada substância ou grupo de substâncias. As mais comuns incluem drogas ilegais, explosivos, sangue, restos humanos e muito mais. Além disso, alguns cães de detecção aprendem a diagnosticar câncer, certos tipos de insetos (como percevejos) ou até mesmo fezes de animais. As raças usadas frequentemente incluem labradores, golden retrievers, pastores-alemães e malinois. 3. Cães de trabalho militares Semelhantemente aos cães policiais, os militares ajudam os membros das forças armadas em suas operações. Esses cães podem ser usados ​​como detectores, rastreadores, sentinelas, escoteiros e para busca e salvamento. Assim sendo, a maioria dos cachorros de trabalho militares é pastor-alemão, pastor-holandês e malinois. 4. Cães de terapia A terapia assistida por animais envolve o uso de cães de trabalho treinados e certificados como parte do plano terapêutico de um paciente. Assim, esses animais de terapia oferecem apoio emocional a pessoas doentes ou feridas, muitas vezes visitando hospitais e lares de idosos. Cães de qualquer raça, tamanho ou idade podem se tornar de terapia, mas precisam do temperamento, da socialização e do treinamento corretos. 5. Cães de busca e resgate Os cães de busca e resgate têm grande agilidade e sentidos excepcionais de olfato e audição. Por isso, esses animais, altamente treinados, servem em muitos campos diferentes, incluindo rastreamento, busca especializada, resgate em avalanche e localização de cadáveres. Assim, as raças de cães de trabalho usadas com frequência nesses casos incluem labradores, golden retrievers, border collies e pastores-alemães. h3>6. Cães de pastoreio Cães de pastoreio trabalham com ovelhas e gado. Ele é basicamente nascido para o trabalho, o que significa que é uma raça específica. No entanto, nem todas as raças de pastoreio são naturalmente pastores experientes. Alguns podem ter suas habilidades aprimoradas com treinamento, enquanto outros são mais adequados para vidas como cães de companhia. 7. Cães de serviço Você provavelmente já ouviu os termos “cão de serviço” e “de assistência” antes, mas sabe o que eles realmente significam? De um modo geral, um cão de serviço ou de assistência é um animal de trabalho especialmente treinado para ajudar uma pessoa ou grupo de pessoas com deficiência ou necessidades específicas. Ele é um tipo de cão de trabalho, mas é muito diferente dos já citados. É importante lembrar que o cão de serviço não deve ser um animal de estimação. Ele é especialmente treinado para ajudar o manipulador com algo diretamente relacionado à sua deficiência. Cães de apoio emocional não são considerados animais de serviço. Raças de cães comumente usadas incluem labrador retriever, golden retriever, poodle padrão e pastor-alemão. Outros tipos de cães de serviço Existem muitos tipos de cães de serviço, e alguns até ajudam em vários propósitos. Mas, para isso, eles passam por rigorosos programas de treinamento antes de poderem se juntar a um manipulador. Aqui estão apenas alguns tipos de cães de serviço: Cães-guia para cegos; Cães auditivos para surdos ou deficientes auditivos; Cães de assistência de mobilidade para pessoas em cadeiras de rodas ou com limitações de mobilidade; Cães de resposta de apreensão para proteger e ajudar pessoas com distúrbios convulsivos quando ocorre uma convulsão; Cães de assistência ao diabetes para detectar altos e baixos de açúcar no sangue (cães treinados com cheiro); Cães de serviço de saúde mental ou cães de serviço psiquiátrico, treinados para ajudar aqueles com transtornos do pânico, transtornos de ansiedade, depressão, transtornos do espectro do autismo e muito mais. Na maioria das vezes, os cães de serviço podem ser facilmente identificados, já que muitos usam coletes especiais e prestam muita atenção aos seus manipuladores. Ao ver um cão na rua, certifique-se de perguntar se o cão é de serviço antes de acariciá-lo. Pois isso é essencial para evitar mordidas. Animais de serviço não devem ser acariciados, alimentados ou receber atenção durante o trabalho. Então, por favor, seja respeitoso e permita que esses trabalhadores realizem seu trabalho. Eles fazem uma grande diferença na vida das pessoas com deficiência! Há muitos outros tipos de cães de trabalho lá fora. Não é incrível o que eles podem fazer?
DogSolution Vimos e Amamos

Somos apaixonados por cães e por fotos :)

DogSolution_001
UAW! Vivemos nossas paixões. Amamos cães e recentemente nos descobrimos apaixonados por boas fotos.  Em uma das nossas navegações pela web, encontramos esse fotógrafo: Mister Jess Beell! E MEUS DEUS, cada foto MARAVILHOSA. Resolvemos compartilhar em nosso blog, e claro, divulgar um bom trabalho! Para outras fotos extraordinárias, visite o site: https://www.jessbellphotography.com/ Ah, esse é nosso SEGUNDO post sobre grandes fotos de cães. Chegou a ver as fotos do Mister Cristian Viele? Vá aqui Um grande abraço e até a próxima!  
Vimos e Amamos

Fotógrafo Christian Vieler

DogSolution_001
O fotógrafo Christian Vieler capta o momento exato quando estes cães tentam pegar um croquete. O resultado é simplesmente ótimo! 😂🐶 O que VOCÊ achou dessas fotos? Nós ADORAMOS! Deixe seu comentário para sabermos sua opinião! Um grande abraço! Ah, para ver outras fotos maravilhosas do autor: https://500px.com/fotosfreischnauze