21.7 C
São Paulo
26 de abril de 2019
DogSolution

Autor: DogSolution_001

DogSolution Vimos e Amamos

Somos apaixonados por cães e por fotos :)

DogSolution_001
UAW! Vivemos nossas paixões. Amamos cães e recentemente nos descobrimos apaixonados por boas fotos.  Em uma das nossas navegações pela web, encontramos esse fotógrafo: Mister Jess Beell! E MEUS DEUS, cada foto MARAVILHOSA. Resolvemos compartilhar em nosso blog, e claro, divulgar um bom trabalho! Para outras fotos extraordinárias, visite o site: https://www.jessbellphotography.com/ Ah, esse é nosso SEGUNDO post sobre grandes fotos de cães. Chegou a ver as fotos do Mister Cristian Viele? Vá aqui Um grande abraço e até a próxima!  
Daycare DogSolution

Conviver com cães diminui em mais de 30% o risco de morte e de ter doenças do coração, diz estudo

DogSolution_001
Fonte g1 As doenças do coração são as que mais matam no Brasil e no mundo, mas um novo estudo mostra uma maneira de se proteger contra o problema: ter um cachorro! Segundo pesquisadores da Universidade de Uppsala, na Suécia, para pessoas que vivem sozinhas, a presença dos cães diminui em 33% as chances de morte e em 36% o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. A possibilidade desses indivíduos terem um infarto também cai 11%. Fizeram parte do levantamento 3,4 milhões de suecos, com idades entre 40 e 80 anos. O estudo acompanhou as pessoas durante 12 anos. A explicação para a longevidade está no apoio emocional que o cão promove e a motivação para a prática de atividade física. Além disso, os pets ajudam a diminuir o estresse dos seus donos. O educador físico Marcio Atala lembra da importância dessa amizade entre o cão e o dono, aliado ao exercício físico. Entre os benefícios estão a redução de morte por infarto, combate ao colesterol e pressão alta e a qualidade de vida. (Veja o vídeo na matéria original) Fonte G1 Postado por www.dogsolution.com.br | Muito mais que daycare  
Daycare DogSolution

Avaliação comportamental para um daycare profissional

DogSolution_001
Avaliação comportamental para um daycare profissional – por que é tão importante? E o que avaliamos nesse primeiro momento? ⠀ 👉 São três pontos principais: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ 1 – Como esse cãozinho fica na ausência dos tutores; 2- Como o cão se comporta na presença de novas pessoas, no caso, nós, os monitores; 3- Como ele fica na presença de outros cães, uma vez que esse contato acontece de forma segura e gradual. 🤔 Após essa observação, o cão está apto para começar a frequentar o daycare de forma gradativa. Por quê? ⠀ 🐶 Um daycare tem que ser importante tanto para os novos quanto para os já frequentadores. 😊 Quanto mais soubermos do comportamento desse cão, mais seguro é para todo mundo! 🐾 Gostou da dica? Continue nos acompanhando e fique sempre por dentro do universo pet!
Vimos e Amamos

Fotógrafo Christian Vieler

DogSolution_001
O fotógrafo Christian Vieler capta o momento exato quando estes cães tentam pegar um croquete. O resultado é simplesmente ótimo! 😂🐶 O que VOCÊ achou dessas fotos? Nós ADORAMOS! Deixe seu comentário para sabermos sua opinião! Um grande abraço! Ah, para ver outras fotos maravilhosas do autor: https://500px.com/fotosfreischnauze
Daycare DogSolution

Por que um daycare existe?

DogSolution_001
E que tal bater um papo sobre o conceito de daycare? Para que um daycare existe? Vamos voltar um pouquinho na história. Lá, no passado, quando o cachorrinho tinha qualquer questão comportamental, era só adestrar que resolvia. Qualquer coisa, adestra que resolve. Depois virou castrar. Qualquer questão comportamental era só castrar o cachorro que resolvia. Mais recentemente, virou passeio. É só passear com o cachorro que resolve também. E, agora, a bola da vez é daycare. É só levar o cachorro para um daycare que todas as questões comportamentais dos cães vão desaparecer. Isso é verdade? Não! Daycare serve, sim, para uma série de questões comportamentais, mas não para todas. E tem questões comportamentais que jamais deveriam ser tratadas dentro de um ambiente daycare. Gostou deste texto? Continue acompanhando nosso blog para ter acesso a mais dicas sobre o mundo canino. Compartilhe com seus amigos se você acha que eles também vão gostar. Até a próxima!
Comportamento do cão DogSolution Metodologia Renato Zanetti

Foto de criança & cão?

DogSolution_001
Eu sei que pode parecer muito fofinhas aquelas fotos que a criança está abraçando o cachorro. Mas o que eu vejo, na maior parte das vezes é o cão emitindo sinais de que ele não está feliz. E um adulto, que deveria supervisionar a criança, não tendo a menor ideia do que esteja acontecendo. Se você já viu uma cena dessas, então este texto é para você! O meu recado: fique muito mais atento a situações assim. Jamais deixe uma criança junto a um cão sem supervisão e evite esses afagos muito calorosos entre uma criança e um cachorro. Se você tem informação e conhecimento sobre linguagem comportamental de cachorro, você pode se exceder um pouquinho mais e você vai reconhecer quando um cachorro não está confortável. Se você não entende nada de linguagem comportamental de cachorro, evite situação assim, para depois não falar que a culpa é do cachorro ou que o cachorro é mau. Gostou deste texto? Continue acompanhando nosso blog para ter mais dicas e compartilhe com seus amigos se você acha que eles também vão gostar. Até a próxima!
Comportamento do cão DogSolution Metodologia Renato Zanetti

Cachorro gordo? Problemas para o cão com sobrepeso.

DogSolution_001
Você adora cachorro gordinho, fofinho, todo redondinho? Esse excesso de gostosura pode ser considerado sobrepeso ou obesidade. Problema para o cão com sobrepeso ou obesidade Vai acarretar problemas de saúde e na longevidade do seu cão. Problemas, dentre outros, de: Coração; Pele; Articulação; Dificuldade maior na recuperação pós-cirúrgica. E você não quer isso. Um cão 10% acima do peso ideal já é considerado sobrepeso. 20%, obesidade. Por exemplo: um cachorrinho deveria ter 10kg, mas está com 11kg. Ele está com sobrepeso. Se ele está com 12kg, já é obeso. Apenas dois quilos a mais já são considerados obeso. Muito mais importante do que ter um cachorro que viva muito (que é isso o que você quer), é um cachorro que viva bem. Ao olhar para seu cão, você deve ter a percepção de que ele é magro. Pois, quando avaliamos saúde, peso certo significa bem-estar para o cão. Então, se ele estiver magrinho, vai no caminho! Se estiver gordinho, vamos deixá-lo com o peso. Gostou deste artigo? Inscreva-se em nossos canais para ter mais dicas e compartilhe com seus amigos se você acha que eles também vão gostar. Até a próxima!
Metodologia Renato Zanetti

Nunca deixe seu cão sozinho dentro do carro, mesmo que rapidinho!

DogSolution_001
A dica de hoje tem a ver com esta época do ano: verão, altas temperaturas de norte a sul do País. E um hábito que não pode ser comum entre os dog lovers é deixar o cachorrinho dentro do carro para fazer coisas rapidinhas fora do carro. O que acontece com essas saídas rapidinhas? A temperatura no interior do veículo aumenta 80% em um período de 30 minutos. Ou seja, se fora do carro estiver 35ºC, dentro do carro, em meia hora, a temperatura pode chegar próxima a 80ºC. Lembrando que os cães não têm glândulas sudoríparas como os seres humanos. Eles não suam como nós. Eles têm glândulas sudoríparas nas patas e trocam calor pela boca, pela língua. Braquicefálico sofre muito mais. Isso quer dizer que eles vão sofrer muito mais para termorregularem, para se ambientarem em um meio tão quente que é o carro. Então se você precisa fazer alguma coisa rapidinha, deixa o cachorro dentro de casa, no geladinho, com muita água à disposição e saia para fazer o que você precisa. Jamais deixe o seu cão dentro do carro. Gostou deste artigo? Continue acompanhando nosso blog para ter mais dicas e compartilhe com seus amigos se você acha que eles também vão gostar. Até a próxima!
Comportamento do cão

Como andar com o cão sem que ele puxe a guia

DogSolution_001
Você, que tem cachorro, já deve ter passado por essa experiência do cão puxar a guia e arrastá-lo na hora do passeio. Ou pelo menos conhece alguém que já contou história semelhante.   Ainda mais se você está com ele desde filhotinho. Quando o cachorro ainda é filhote e vamos passear com ele, achamos até engraçadinho vê-lo explorar o local de passeio, o que é muito bom para ele. Conforme o tempo passa e ele vai crescendo, para ele é esse o comportamento que deve-se repetir todos os dias. Com um ano e meio a dois anos, quando já está grandinho e forte, fica cada vez mais difícil controlar a guia e seu cão acaba te arrastando. Muitos acabam se cansando de passeios assim. Mas por que será que o cachorro faz isso? Cão puxando a guia – como tudo começa O que acontece na fase de conhecimento do ambiente do cãozinho filhote é que, na hora que ele sente o cheio de um poste ou árvore os quais já passou uma série de cachorros, ele quer explorar um pouco mais. Ele traciona a guia e, assim, é recompensado porque consegue o que quer: aproximar-se do cheio, uma vez que a maioria das pessoas cede a guia para deixá-lo chegar onde quer. E o que ele fez nesse momento? Ele aprendeu que para sentir aquele cheiro, que é o recurso que ele queria, ele precisa sentir uma tração na guia. Se isso acontecer passeio após passeio, ele acaba entendendo que, para sentir o cheiro, ele sempre terá que sentir essa tração na guia. Pronto. Você acabou de ensinar o seu cachorro a puxar a guia para sempre. Então qual a dica para andar com o cachorro sem que ele puxe a guia? Quando você estiver no passeio com o seu cão e ele quiser sentir um cheio e a guia estiver tensionada, você não vai ceder nessa hora. Você pode dar dois passos para o lado oposto. E, quando a guia estiver frouxa e relaxada (como se fizesse um U), você se aproxima da árvore. Ou seja. Ele vai ter sucesso como o desejo dele, vai ter o recurso que ele quer e precisa. Mas sem puxar a guia. Faça isso. Você vai ver como vai melhorar muito o seu passeio e o seu relacionamento com seu cão. Gostou desta dica? Continue acompanhando o blog e nossas outras redes sociais para mais dicas. Até a próxima!    
Comportamento do cão Metodologia

Como se aproximar dos cães de forma correta

DogSolution_001
Neste artigo vamos falar sobre o relacionamento entre pessoas e cães que não se conhecem. Você já andou na rua e encontrou aquele cachorro superfofinho, bonitinho, delícia para abraçar? Temos certeza que sim! E o que você fez? Foi lá e deu um baita de um abraço no cachorro, né? Mas já passou pela sua cabeça que esse cachorrinho, talvez, não quisesse ser abraçado ou tocado? Acha essa pergunta esquisita? Mas o fato é que tem cachorro que não gosta de ser abraçado. Ou vai me dizer que você também gosta de sair abraçando todo mundo na rua? Tudo bem, tem pessoas que gostam. Outras preferem abraçar apenas amigos ou amigo de amigos etc. Cada um tem um jeito de ser, certo? Mas quem não se assustaria com uma pessoa desconhecida que surgisse do nada e quisesse nos abraçar? A princípio acharemos esquisito também! E os cachorros também são assim! Imagine ele numa boa passeando na praça, fazendo xixi, cheirando cada local e aparece um ser humano e abraça-o, começa a tocá-lo e ele nem entende o que está acontecendo. Do ponto de vista do cão essa ação toda é esquisita.   Então como posso fazer a aproximação correta de um cachorro? Está tudo bem você adorar cachorros. Está tudo bem ver um cachorro fofinho e querer abraçar. Mas vamos dar algumas dicas para fazer uma abordagem menos estranha para ele. Aproximação Aproxime-se a até mais ou menos um metro, um metro e meio de distância em relação a ele. E deixe que o cachorro se aproxime de você. Não é você que vai entrar no perímetro do cachorro, mas o cachorro que vai se aproximar no tempo dele. E, se ele fizer isso, você tem um ponto a favor.   Não dê a mão para o cachorro cheirar A segunda dica é não dar a mão para o cachorro cheirar ou na boca dele só porque você ouviu dizerem que o cachorro cheira primeiro as pessoas. Sim, é um fato. Mas desde que ele se aproxime das pessoas, e não o contrário.   Cuidado com movimentos bruscos Quando se abaixar, faça isso de uma forma muito cordial e lenta, para que você não emita nenhum sinal esquisito para o cão. A alteração brusca de movimento é ruim para ele. Se o cachorro é um pouco mais medroso, ele irá se afastar e você, assim, pensará que o problema é com você. Mas não é! O problema é com o cachorro, como o mundo dele mesmo. Pense numa criança. Você sai apertando a bochecha, pegando no colo ou abraçando todas as crianças que você vê na rua ou num restaurante, por exemplo? Seria algo esquisito, não? A mãe, no mínimo, acharia você uma pessoa meio maluca, estranha. Com o cachorro é muito parecido. Faça este teste. Deixe o cachorro no canto dele e você fica no seu canto. Se a alma de você se tocarem, faça carinho. Aí, sim, você pode abraçar, beijar e fazer o que você quiser. Sempre com a anuência, com a concordância do tutor, uma atitude é muito mais legal! Você vai sentir que realmente é uma abordagem muito mais calma e positiva para você e para o cão. Gostou deste artigo? Inscreva-se em nossos canais para ter mais dicas e compartilhe com seus amigos se você acha que eles também vão gostar. Tem muito mais cachorros querendo essa informação. Até a próxima!
Comportamento do cão DogSolution Metodologia

Compare seu cão apenas com ele mesmo

DogSolution_001
Todas as vezes que os cachorros apresentam algumas questões comportamentais, o caminho correto é a gente buscar um bom profissional comportamentalista, que você encontra em um day care, por exemplo. Entre os comportamentos citados podem estar: Puxar a guia; Pular na visita; Excesso de medo; Muita ansiedade. Esse profissional vai fazer uma série de treinamentos e utilizar protocolos de treinamento para tentar mudar esse perfil comportamental dos cães. E isso vai ser muito legal para o seu cãozinho! Mas qual é o grande abismo que alguns tutores caem? Quando a gente começa a comparar o nosso cachorro com o cachorro do vizinho.   Não compare o seu cachorro com o do vizinho! Aquele cachorro do vizinho não necessariamente é o do vizinho propriamente dito. Pode ser, dentre outros: O nosso cachorro do passado; O estereótipo do cachorro feliz; O cachorro de um amigo; O cachorro de um parente. Ou seja, a gente compara o nosso cão, que está sob o treinamento comportamental, com outros cães que nunca apresentaram esses problemas comportamentais. E isso é um erro! Não compare o seu cão com outros cães. Sempre compare o seu cão com ele mesmo! Compare a evolução e a melhoria do seu cachorro com ele mesmo. Gostou dessas dicas? Compartilhe! Se quiser saber mais dicas e informações sobre cachorros e relacionamento de cachorro com pessoas e outras dicas, continue acompanhando nosso blog e nossos outros canais. Até a próxima!  
Comportamento do cão DogSolution Metodologia Renato Zanetti

Xixi e cocô no lugar certo: sua estratégia influencia o resultado

DogSolution_001
Quem tem ou teve ou pensa em ter um cachorro já passou ou vai passar por este problema:  fazer o cachorro fazer xixi e cocô no lugar certo. É algo que não tem jeito. Eles precisam fazer as necessidades deles todos os dias. Mas as pessoas acham que ensinar alguma coisa nova para o cachorro é uma coisa simples. É simples desde que o cachorro entenda o que ele tem que fazer. Sobre o xixi e o cocô, qual a grande questão? Não é em um final de semana que você vai ensinar o cachorro a acertar o lugar de fazer xixi e cocô! Se compararmos, por exemplo, quando a mãe decide tirar a fralda da criança, leva um tempo para a adaptação e a mãe fica sempre em alerta ensinando como fazer e o local certo de fazer. Queremos o mesmo com os cachorros. O problema é querer ensiná-lo apenas em um final de semana, sendo que criança, que tem habilidade cognitiva muito maior, demora em torno de seis meses. Para ajudar a não criar expectativas erradas e exacerbadas, separamos algumas dicas. Aqui envolve a expectativa das pessoas que têm cachorro um pouco exacerbada e errada.   5 dicas para ajudar o cachorro a fazer xixi e cocô no local certo 1. Diminua a expectativa em relação ao acerto O cachorro vai conseguir uma hora ou outra! Acredite! Ele só precisa de tempo e paciência investidos nele para que tudo saia como é esperado pelo dono.   2. Tenha uma estratégia É preciso encarar esse desafio com estratégia para obter o sucesso. Primeiramente designar qual é o lugar correto para fazer xixi e cocô. E ficar de olho se o cão está seguindo. Invista ao menos um mês de seu tempo e do tempo de seu animalzinho. Se forem precisos mais dias ou mais meses, continue a investir até que ele acerte em definitivo.   3. Tenha paciência O cachorro vai errar no começo e isso é um fato.   O mesmo acontece com as crianças que, como dissemos, têm mais habilidade cognitiva. Por que não aconteceria com os cães? Então é preciso paciência e tempo para esse momento.   4. Tenha foco As pessoas envolvidas com a educação do cachorrinho devem estar comprometidas com o resultado. Não adianta, em uma família de quatro pessoas, por exemplo, uma delas apenas se preocupar com essa questão do cachorro fazer xixi e cocô no lugar correto e as outras deixando apenas acontecer o acerto naturalmente. Assim você acaba por perder a oportunidade de recompensar seu cão. O grande segredo do acerto é o cachorro saber o que ele tem que fazer de certo, e não o que ele fez de errado. E isso nos leva à próxima dica.   5. Jamais puna se o cachorro fizer cocô ou xixi no lugar errado Se uma pessoa da família recompensa o seu animalzinho por fazer xixi e cocô no lugar certo, mas os outros membros punem quando ele faz em lugar errado, esse treinamento não se torna eficaz. Quando punimos um cachorro por fazer algo que do nosso ponto de vista está errado, ele fica confuso e não entende por que foi punido. Portanto, não puna o cachorro quando ele errar. O erro foi de acordo com o que você julgou estar errado. E não no ponto de vista dele. É preciso dedicação ao resultado para que dê certo e você alcançar sucesso nessa missão. Gostou dessas dicas? Compartilhe! Se quiser saber mais dicas e informações sobre cachorros e relacionamento de cachorro com pessoas e outras dicas, continue acompanhando nosso blog e nossos outros canais. Até a próxima!  
Comportamento do cão DogSolution Renato Zanetti

Seu cachorro está entediado? Saiba mais sobre enriquecimento ambiental

DogSolution_001
Você tem percebido que seu cachorro está entediado? O enriquecimento ambiental torna o ambiente em que seu cão vive muito mais interessante. Não que ele não esteja legal neste momento, mas que tal torná-lo ainda mais atrativo, atendendo às necessidades naturais do seu melhor amigo? Saiba mais sobre enriquecimento ambiental. O que é enriquecimento ambiental? De forma simples, enriquecer o ambiente é inserir no local onde seu cão vive elementos simples, criativos e de fácil interação, fornecendo opções de escolha e possibilidades para expressarem comportamentos e habilidades adequadas à espécie. Esse ambiente não precisa ser selvagem nem impedir que o cão suba no sofá ou durma na cama. O que precisa, de fato, é ser menos óbvio, mais desafiador e ter um pouco de complexidade. Algumas possibilidades de enriquecimento ambiental são: Criar alguns obstáculos pela casa; Esconder a comida para que o cão a procure; Pendurar algumas cordas para estimular saltos e gastos de energia; Utilizar brinquedos que promovam o desenvolvimento motor e cognitivo. Pense no que um cão faz no seu habitat natural: corre, procura alimento, supera obstáculos naturais, fareja o ambiente, utiliza suas capacidades motoras, descansa em segurança. Que tal permitir que tudo isto aconteça, mesmo num ambiente urbano? Você pode fazer isso abordando os 5 tipos de enriquecimento ambiental: Físico Consiste na formação de novos ambientes, valendo-se de, entre outros: Obstáculos físicos; Estruturas que sejam desafiadoras aos animais; Áreas de fuga; Simulação de tocas e abrigos; Alturas diversas. Podem ser permanentes ou temporários, porém é necessário que ocorram alterações periódicas, mesmo que sutis, uma vez que o ambiente enriquecido torna-se pobre e fica óbvio com o tempo.   Social É a interação entre indivíduos da mesma espécie ou de espécies diferentes. Essa interação precisa ser segura, supervisionada e gerar estímulos positivos.   Sensorial É a introdução de elementos que estimulam os sentidos dos animais: tato, audição, visão e olfato.   Alimentar  Consiste em oferecer a dieta de forma a gerar estímulos comportamentais próprios da espécie, como o forrageio, a busca e a destruição utilizando os dentes e patas. Pode ser o fornecimento do alimento já conhecido ou de novos alimentos.   Cognitivo É estimular a capacidade mental do cão, valendo-se de jogos e brinquedos que promovem desafios e oferecem uma recompensa, na maioria das vezes, alimentar. E qual o resultado em se aplicar esse conceito? O cão ficará menos entediado, terá maior capacidade física e mental, ficará mais relaxado e menos destrutivo. Uma série de problemas comportamentais são reduzidos e os cães tornam-se mais equilibrados e motivados. Todos esses benefícios se convertem em mais saúde e bem-estar para os nossos cães. Vale a pena? Para melhorar a vida dos nossos melhores amigos, com certeza, sim. Gostou dessas dicas? Compartilhe! Se quiser saber mais dicas e informações sobre cachorros e relacionamento de cachorro com pessoas e outras dicas, continue acompanhando nosso blog e nossos outros canais. Até a próxima!