DogSolution
Image default
Comportamento do cão Metodologia

Como se aproximar dos cães de forma correta

Neste artigo vamos falar sobre o relacionamento entre pessoas e cães que não se conhecem.

Você já andou na rua e encontrou aquele cachorro superfofinho, bonitinho, delícia para abraçar?

Temos certeza que sim!

E o que você fez?

Foi lá e deu um baita de um abraço no cachorro, né?

Mas já passou pela sua cabeça que esse cachorrinho, talvez, não quisesse ser abraçado ou tocado?

Acha essa pergunta esquisita?

Mas o fato é que tem cachorro que não gosta de ser abraçado.

Ou vai me dizer que você também gosta de sair abraçando todo mundo na rua?

Tudo bem, tem pessoas que gostam. Outras preferem abraçar apenas amigos ou amigo de amigos etc.

Cada um tem um jeito de ser, certo?

Mas quem não se assustaria com uma pessoa desconhecida que surgisse do nada e quisesse nos abraçar? A princípio acharemos esquisito também!

E os cachorros também são assim!

Imagine ele numa boa passeando na praça, fazendo xixi, cheirando cada local e aparece um ser humano e abraça-o, começa a tocá-lo e ele nem entende o que está acontecendo.

Do ponto de vista do cão essa ação toda é esquisita.

 

Então como posso fazer a aproximação correta de um cachorro?

Está tudo bem você adorar cachorros. Está tudo bem ver um cachorro fofinho e querer abraçar.

Mas vamos dar algumas dicas para fazer uma abordagem menos estranha para ele.

  • Aproximação

Aproxime-se a até mais ou menos um metro, um metro e meio de distância em relação a ele. E deixe que o cachorro se aproxime de você.

Não é você que vai entrar no perímetro do cachorro, mas o cachorro que vai se aproximar no tempo dele.

E, se ele fizer isso, você tem um ponto a favor.

 

  • Não dê a mão para o cachorro cheirar

A segunda dica é não dar a mão para o cachorro cheirar ou na boca dele só porque você ouviu dizerem que o cachorro cheira primeiro as pessoas.

Sim, é um fato.

Mas desde que ele se aproxime das pessoas, e não o contrário.

 

  • Cuidado com movimentos bruscos

Quando se abaixar, faça isso de uma forma muito cordial e lenta, para que você não emita nenhum sinal esquisito para o cão.

A alteração brusca de movimento é ruim para ele.

Se o cachorro é um pouco mais medroso, ele irá se afastar e você, assim, pensará que o problema é com você.

Mas não é!

O problema é com o cachorro, como o mundo dele mesmo.

Pense numa criança.

Você sai apertando a bochecha, pegando no colo ou abraçando todas as crianças que você vê na rua ou num restaurante, por exemplo?

Seria algo esquisito, não?

A mãe, no mínimo, acharia você uma pessoa meio maluca, estranha.

Com o cachorro é muito parecido.

Faça este teste. Deixe o cachorro no canto dele e você fica no seu canto. Se a alma de você se tocarem, faça carinho. Aí, sim, você pode abraçar, beijar e fazer o que você quiser.

Sempre com a anuência, com a concordância do tutor, uma atitude é muito mais legal!

Você vai sentir que realmente é uma abordagem muito mais calma e positiva para você e para o cão.

Gostou deste artigo? Inscreva-se em nossos canais para ter mais dicas e compartilhe com seus amigos se você acha que eles também vão gostar.

Tem muito mais cachorros querendo essa informação.

Até a próxima!

Podem ter interessar

Comportamento dos cães é mais influenciado pelos donos do que pela genética, afirma especialista

Dog Solution

Compare seu cão apenas com ele mesmo

DogSolution_001

Por um mundo com menos obedientes-objetos-comandados e mais cães-amigos

Dog Solution